Pesquisadores da UFRN criam novo padrão para teste da Covid capaz de diminuir ocorrência de falso negativo

Teste Covid covid-19 Natal RN Rio Grande do Norte rt-pcr swab  — Foto:  Ascom/IMD/UFRN
Foto: Ascom/IMD/UFRN
 
Pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte estão desenvolvendo novas versões dos chamados "iniciadores" (ou primers), um dos principais elementos usados nas reações dos testes de identificação da Covid. Essa nova combinação tem se mostrado capaz de aumentar a eficácia dos resultados dos exames RT-PCR (swab).
 
O trabalho é do Centro Multiusuário de Bioinformática (BioME/IMD) e do Laboratório de Biologia Molecular Aplicada (Laplic/UFRN) e foi publicado no jornal "Scientific Reports", da revista Nature, um dos maiores veículos científicos do mundo.
 
O estudo analisou os principais iniciadores (primers) utilizados em todo o mundo e, em seguida, criou primers inéditos, capazes de aumentar a assertividade das testagens da Covid, evitando erros de diagnósticos, como os casos de “falso negativo”.
 
“Conseguimos desenhar nove conjuntos de primers e sondas, que nada mais são do que ‘pedacinhos’ de DNA utilizados na PCR, que teoricamente são capazes de funcionar na identificação de qualquer variante do SARS-CoV-2 conhecida até então", explicou o professor do Laboratório de Biologia Molecular Aplicada da UFRN, Daniel Lanza.
 
"Isso diminui consideravelmente a chance de erro dos testes da doença”, reforçou.
 
Atualmente, o estudo tem sido feito através de simulações computacionais de bioinformática e ainda precisa passar para o teste in vitro.
 
O artigo é fruto do trabalho da mestranda Maria Júlia Davi, do Programa de Pós-Graduação em Bioinformática (PPG-Bioinfo/IMD), em parceria com os professores João Paulo Lima, docente do BioME, Selma Jerônimo, do Instituto de Medicina Tropical do Rio Grande do Norte (IMT/RN), e Daniel Lanza.
 
Melhora na detecção de variantes
O exame PCR é amplamente conhecido no mundo e o principal e mais eficaz método de detecção do coronavírus.
 
A novidade trazida pelo estudo está em aumentar o nível de detecção do vírus e a capacidade de encontrar variantes, através dos novos primes.
 
“Os principais desafios para a identificação continuada do vírus são justamente suas eventuais mutações", pontua o professor Daniel Lanza.
 
"Eu posso ter um primer para uma variante do vírus da Covid, mas quando ele sofre alguma mutação, esse primer pode perder eficiência e meu diagnóstico pode ser impreciso".
 
Dessa forma, o que o estudo fez foi, "a partir de um grande banco de dados com sequências genéticas do SARS-CoV-2, identificar as regiões no genoma viral que apresentam menor propensão às mutações", diz o professor Daniel Lanza.
 
"A partir daí, desenhar novos primers específicos, aplicáveis a qualquer variante do vírus conhecida”.
 
Todos os primers foram desenhados e testados por bioinformática (in silico) pelos professores João Paulo Lima e Daniel Lanza.
 
Para o trabalho, foram utilizados alinhamentos de milhares de sequências genéticas do SARS-CoV-2 e os primers foram testados contra mais de 211 mil genomas do vírus e suas variantes recentes – tarefa apoiada pelo supercomputador do Núcleo de Processamento de Alto Desempenho (NPAD/UFRN).
 
Segundo o professor João Paulo Lima, o custo do projeto foi praticamente zero. "Com exceção dos recursos indiretos oferecidos pela Capes para o pagamento da bolsa de pesquisa da nossa mestranda (Capes – Ação Emergencial)", disse.
 
Testagem em vitro
O próximo passo da pesquisa é a testagem dos novos primers in vitro, segundo os professores. Até o momento, a validação aconteceu apenas por simulações computacionais de bioinformática.
 
Para a nova etapa, a pesquisa contará com o apoio do IMT, instituição que já realizou mais de 40 mil testagens de Covid-19 só em Natal durante a pandemia.
 
"Algumas amostras do IMT já foram disponibilizadas para iniciarmos os testes in vitro. Esse é o próximo passo para validarmos definitivamente os novos primers e apresentar um novo protocolo mais eficiente para detecção do vírus”, contou Daniel Lanza.
 
Segundo os docentes, qualquer empresa ou instituição que tenha estrutura mínima para a realização de testes de PCR ou pesquisas com as sequências do vírus é capaz de testar e validar os novos kits.
 
“Contanto que se tenha um termociclador, equipamento necessário para fazer uma reação PCR, e um laboratório de biologia molecular, é possível realizar os testes”, garantiu o João Paulo Lima.
 
O pesquisador pontua, no entanto, que "para o oferecimento dessa nova testagem ao público, será necessário, após a validação, obter as devidas autorizações das agências reguladoras".
 
Segundo ele, "não apenas os primers, mas sim uma série de fatores que devem ser levados em conta para que os testes de um determinado local sejam consideradas de fato”, ressalta Daniel Lanza.
 
Para manterem válidos os resultados do estudo, os pesquisadores continuam, mensalmente, alinhando sequências genéticas do SARS-CoV-2, de modo a atualizar a lista de primers, caso surjam novas variantes do vírus.
 
Por G1RN

 

Polícia Civil prende homem por homicídio em Santa Cruz

Adolescente de 16 anos é morta com tiro de espingarda no interior do RN;  Polícia investiga provável tiro acidental | Rio Grande do Norte | G1
 Foto: Polícia Civil do RN
 
Policiais civis da 9ª Delegacia Regional de Polícia de Santa Cruz prenderam, nesta quinta-feira (22), Jefferson Cleyton Lima da Silva, conhecido como “Bafo”, de 21 anos. Ele foi detido pelo crime de homicídio.
 
Em desfavor de Jefferson Cleyton, existia um mandado de prisão preventiva, referente ao homicídio ocorrido no município de São Bento do Trairi, que teve como vítima Eurípedes Estevam Teixeira. Jefferson Cleyton foi encaminhado ao sistema penitenciário, onde se encontra à disposição da Justiça.
 
A Polícia Civil solicita que a população envie informações, de forma anônima, por meio do Disque Denúncia 181.
 
Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS.

Pix poderá ser usado em aplicativos de mensagens e compras online

Pix é o pagamento instantâneo brasileiro. O meio de pagamento criado pelo Banco Central (BC) em que os recursos são transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia. É prático, rápido e seguro.
Foto: Marcello Casal jr/ Agência Brasil
 
O Banco Central (BC) anunciou hoje uma atualização do Pix para ampliar o uso do sistema de pagamentos instantâneos. Com as alterações, será possível fazer transferências por meio de aplicativos de mensagens e redes sociais, além de pagar as compras feitas pela internet.
 
Para isso, uma resolução do BC, anunciada hoje, regulamenta regras para as instituições financeiras participantes do open banking (sistema de compartilhamento de dados). Somente essas instituições poderão oferecer os novos serviços. Foram definidos os requisitos técnicos e os procedimentos operacionais para o compartilhamento do serviço de iniciação de transação de pagamento de Pix. A chamada iniciação ocorre quando a instituição que faz a transação do pagamento com Pix é diferente do banco que detém a conta do usuário pagador. Ou seja, o usuário poderá efetuar o pagamento por meio de outro aplicativo que não é o do seu banco onde a conta com a chave Pix foi cadastrada.
 
A previsão é que o serviço, que é uma nova modalidade para pagamentos instantâneos no Pix, comece a funcionar a partir do dia 30 de agosto.
 
Novidades
O serviço vai permitir a movimentação de contas bancárias a partir de diferentes plataformas e não apenas pelo aplicativo ou site do banco. Ou seja, com a atualização, será possível efetuar o pagamento com Pix usando o serviço de outras instituições.
 
Entre as inovações também está a possibilidade de realizar uma transferência por meio de aplicativos como os de mensagens ou mesmo pelas redes sociais.
 
Outro uso possível pode ocorrer no caso do pagamentos de compras online. Com a nova modalidade, quem comprar um produto pela internet poderá ser automaticamente direcionado para a tela de pagamento da transação no aplicativo do seu banco. Nesse caso, após a conclusão da transação, o cliente será redirecionado automaticamente de volta para a loja virtual ou aplicativo.
 
A resolução do BC atualiza as regras do Pix e estabelece que as mudanças ocorrerão por fases, de modo que as instituições tenham tempo suficiente para efetuar os ajustes nos seus sistemas para cada uma das forma de iniciação de pagamento por Pix: inserção manual, chave Pix, QR Code estático e dinâmico e diretamente com os dados do recebedor.
 
Apenas instituições autorizadas pelo BC poderão exercer a função de iniciadoras de Pix. E o usuário terá que autorizar o compartilhamento de dados.
 
Por Agência Brasil

Brasil recebe 1 milhão de vacinas da Pfizer nesta quinta-feira

Pfizer entrega mais 1 milhão de doses da vacina contra Covid-19 ao Brasil  nesta quarta | Campinas e Região | G1

Programa de recuperação de créditos tributários é aprovado na Assembleia Legislativa do RN

alrn
Foto: Divulgação
 
Na última sessão do primeiro semestre de 2021, realizada nesta quinta-feira 22, na Assembleia Legislativa, os deputados estaduais aprovaram à unanimidade, com acréscimo de duas emendas, o Projeto de Lei Nº 198/2021, de iniciativa do Governo do Estado que altera a Lei Estadual Nº 10.784, de 22 de outubro de 2020, que institui o Programa de recuperação de créditos tributários do ICM, ICMS e IPVA.
 
O objetivo do Projeto   de   Lei, segundo a   Mensagem Governamental, é contribuir com a retomada da economia e permitir que as empresas façam os pagamentos de seus tributos em atraso, de forma parcelada, bem  como  percentuais  de  descontos  pertinentes  às  multas,  juros  e  demais acréscimos  legais,  visando  a  oferecer  condições  mais  favoráveis  para  que  os devedores possam regularizar obrigações perante a Fazenda Estadual.
 
 “A renovação do Refis, nada mais é que a possibilidade real de uma renegociação justa e possível com percentual de juros e multas bem acessível. Permitindo que essas empresas possam ter as certidões negativas e que possam participar de programas do governo e de licitações”, justificou Kleber Rodrigues (PL), relator da matéria.
 
Também falaram os deputados Francisco do PT, Tomba Farias (PSDB) e Hermano Morais (PSB).
 
Por Agora RN

Oi! Clique em um dos nossos canais abaixo para falar pelo nosso WhatsApp ou envie-nos um e-mail para [email protected]

Fale conosco pelo WhatsApp
Close and go back to page