Sesap orienta população para prevenção de acidentes com animais peçonhentos

Após um período crítico vivido nacionalmente no abastecimento de soros contra picadas de serpentes e outros animais peçonhentos, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) inicia o ano de 2020 com a situação de abastecimento regular.

Desde julho de 2019, quatro hospitais de referência receberam a centralização dos soros de forma estratégica: Giselda Trigueiro (Natal), Hospital Tarcísio Maia (Mossoró), Hospital Regional de Pau dos Ferros e Hospital Telecila Freitas Fontes (Caicó). A Sesap continua realizando o monitoramento diário dos estoques de soros e orientando os profissionais de saúde para que cumpram rigorosamente os protocolos de prescrição dos soros, estabelecidos pelo Ministério da Saúde, evitando o desperdício.

Estes quatros hospitais estão abastecidos e ainda há estoque de retaguarda na Rede de Frio da Unidade Central de Agentes Terapêuticos (Unicat).

Segundo a subcoordenadora de Vigilância Ambiental da Sesap, Aline Rocha, o Ministério da Saúde é responsável por comprar e distribuir o soro para os estados. “A distribuição dos soros ainda permanece limitada. Atualmente a incidência de acidentes ofídicos vem reduzindo devido à estação do ano e atrelado a isso, a utilização do soro diminuiu, o que nos permite vivenciar um período um pouco mais confortável”. A subcoordenadora reforça a necessidade de buscar um serviço hospitalar em caso de acidentes por serpentes.

Para esclarecer dúvidas e orientar a população e os profissionais de saúde quanto aos casos de acidentes por animais peçonhentos, a Sesap disponibiliza um serviço de plantão 24h. O Centro de Assistência Toxicológica do RN (CEATOX) funciona por meio dos números telefônicos: 0800 281 7005 / 3232-4295 / 98803-4140 (whatsapp).

Prevenção de acidentes com peçonhentos

- Evite acúmulo de lixo ou entulhos que possam atrair ratos (um dos principais alimentos das serpentes) ou outros pequenos animais;

- Não coloque as mãos desprotegidas em buracos e cupinzeiros, folhas secas, monte de lixo, lenha, palhas etc.;

- Use luvas de couro ao manejar locais onde as serpentes possam estar presentes,  como matas, tocas, troncos e lenhas árvores;

- Use sapatos fechados de cano alto ao andar e caminhar na mata ou entre folhas secas;

- No amanhecer e no entardecer, evite se aproximar da vegetação perto do chão, como gramados e jardins, pois é nesse momento que as serpentes estão em maior atividade.

Em caso de acidentes, deve-se:

- Manter o paciente deitado;

- Lavar o local da picada apenas com água e sabão;

- Procurar o serviço de saúde mais próximo;

- Informar ao profissional médico o máximo possível de características do animal, tais como: tipo, cor e tamanho. Isso ajudará no tratamento, já que o soro antiofídico é específico para cada tipo de envenenamento. 

ASSECOM/RN