Médicos do Giselda Trigueiro investigam primeiro caso suspeito de coronavírus no RN

Governo do RN / Divulgação

Médicos do Hospital Giselda Trigueiro, em Natal, investigam o primeiro caso suspeito de coronavírus no Rio Grande do Norte. Um homem de 25 anos, que não teve a identidade revelada, deu entrada no hospital nesta quarta-feira (12), por volta das 19h, com febre e sintomas gripais.

Segundo apurou o Agora RN, o homem relatou à equipe médica ter tido contato com chineses na Praia de Pipa, no litoral sul potiguar. Ele não detalhou quando isso aconteceu e afirmou ter começado a apresentar os sintomas há cerca de uma semana. Ele já tem leucemia mieloide crônica.

Um infectologista do hospital confirmou à reportagem que o homem está em “isolamento total” dentro do Giselda Trigueiro e que o caso dele é tratado como suspeita de coronavírus.

Amostras de sangue do paciente foram recolhidas e serão examinadas pelo laboratório central do Estado, que vai apresentar resultado para doenças comuns, como gripe. Outra parte da amostra foi enviada para o laboratório da Fiocruz, que é credenciado pelo Ministério da Saúde para realizar o teste para o coronavírus. O resultado do teste para o coronavírus deve sair em até sete dias. A doença, contudo, pode ser descartada antes caso o exame feito pelo Laboratório Central do RN dê positivo para outra doença.

À reportagem, o especialista contou que o isolamento do paciente é praxe, já que ele relata ter tido contato com chineses oriundos da cidade de Wuhan, epicentro do surto de coronavírus na China, e tem sintomas da doença. Não está confirmado, porém, se os asiáticos com os quais o brasileiro teve contato estavam infectados.

Um fator que minimiza a suspeita de coronavírus, segundo apurou o Agora RN, é o fato de o paciente ter leucemia. Como as defesas de uma pessoa com essa doença normalmente são mais frágeis, era de se esperar que, em uma semana, uma eventual infecção por coronavírus tivesse evoluído para um quadro mais grave – o que, felizmente, não aconteceu.

Nesta quarta-feira (12), chegou a 1.350 o número de mortes causadas por coronavírus no mundo. Somente na província de Hubei, epicentro do surto na China onde fica Wuhan, já foram confirmados 48.206 casos da doença.

No Brasil, até agora nenhum caso da doença foi confirmado, segundo o Ministério da Saúde.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública convocou entrevista coletiva para esta sexta-feira (14), às 8h30, na Escola de Governo, para apresentar as informações sobre o caso do paciente que está em observação no Hospital Giselda Trigueiro.

Em nota enviada à imprensa, a Sesap informa que no momento está apurando os fatos para que possa inferir se há ou não um caso suspeito de Infecção Humana pelo Novo Coronavírus, uma vez que para ser considerado caso suspeito esse deverá atender aos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde. No momento as investigações estão em curso e ainda não há informações precisas.

Giselda Trigueiro tem ala de isolamento para casos suspeitos de coronavírus

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) montou no Hospital Giselda Trigueiro uma enfermaria, com 25 leitos, para o atendimento de possíveis casos coronavírus diagnosticados no Rio Grande do Norte, além do Hospital Giselda Trigueiro, também foi designado o Hospital Maria Alice Fernandes, na Zona Norte, para atuar na retaguarda para o tratamento de possíveis doentes.

Tibau do Sul

A Prefeitura de Tibau do Sul, por meio da Secretaria de Saúde, se manifestou logo após a repercussão do caso. Em nota, disse ressaltou que o caso está sob investigação e que, neste primeiro momento, é importante destacar que o paciente não é morador da cidade e que ele não passou pelas unidades de saúde da cidade.

“O turista fez referência que esteve em Pipa no período de quinze dias antes de apresentar os sintomas do vírus. Além disso, o atendimento ocorreu em Natal e encontra-se hoje em observação no Hospital Giselda Trigueiro, na capital potiguar. O hospital é especializado no tratamento de doenças infectocontagiosas e toxicológicas no Rio Grande do Norte”, acrescentou.

A Prefeitura também afirma que a equipe da Unidade Mista do município está preparada e treinada para o acolhimento de pacientes com os possíveis sintomas da doença, e que o setor de epidemiologia de Tibau do Sul já está realizando o levantamento dos locais onde o paciente passou e com quem teve contato.

“É importante destacar que não basta apenas apresentar os sintomas, já que são parecidos com o da Influenza, é preciso fazer um percurso epidemiológico do paciente para saber se ele teve contato com ou não chineses ou outras pessoas que viajaram até aquele país. A Secretaria de Saúde também avisa que está em alerta e pronta para atender a população no que for necessário”, finalizou.

Transmissão da doença

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas – gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo –, bem como a partir do toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, os principais sintomas clínicos referidos são principalmente respiratórios: tosse, febre e dispneia (dificuldades ao respirar). Não existe tratamento especifico para infecções causadas por coronavírus humano. Dependendo do caso algumas medidas podem ser adotadas para alivio dos sintomas, como uso de medicamento para dor e febre. Assim que os primeiros sintomas surgirem, é fundamental procurar ajuda médica imediata para confirmar ou descartar o diagnóstico e iniciar o tratamento.

A Sesap orienta aos profissionais de saúde que todo caso suspeito deverá ficar mantido em isolamento respiratório e deve ser notificado de forma imediata pelo profissional de saúde responsável pelo atendimento, ao Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS/RN).

As precauções recomendadas para o público em geral são:

Lavagem de mãos frequente com água e sabão, com duração mínima de 20 segundos, ou usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

Evitar tocar nos olhos, nariz e boca, com as mãos não lavadas;

Evitar contato próximo com pessoas doentes;

Ficar em casa quando estiver doente;

Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com lenço de papel descartável, jogando-o no lixo após uso;

Manter os ambientes bem ventilados;

Limpar e desinfetar objetos e superfície tocados com frequência;

Não compartilhar objetos de uso pessoal (talheres, pratos ou garrafas);

Evitar aglomeração de pessoas;

Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações;

Evitar viagens à China e países com transmissão local do vírus, neste momento, e se possível evitar locais com casos suspeitos da doença.

Agora RN