Família de crianças potiguares que precisam de doação de medula óssea viabiliza vinda de hemonorte para Santa Cruz

Santa Cruz vai receber na próxima sexta-feira (29) uma equipe do hemonorte para realizar cadastramento de possíveis doadores de medula óssea na cidade.

A vinda da equipe está sendo viabilizada pela família das crianças Vitalzinho e Benício, irmãos que precisam de doação de medula para se curar do câncer.

A família criou a campanha #TodosPorVitalzinho, que se espalhou pelo estado e conseguiu levar o hemonorte a vários Municípios, e chega a Santa Cruz na próxima sexta-feira.

A equipe estará na Facisa, campus de Santa Cruz da UFRN, a partir das 8h, para retirada de sangue para cadastramento da medula óssea em banco de dados nacional.

O cadastramento no banco de dados de medula óssea é algo simples, mas cercado por mitos das pessoas, que muitas vezes não se cadastram por falta de informação.

O Brasil tem um cadastro nacional de medula óssea e as pessoas que se cadastram podem doar para qualquer popular no país, embora as chances de compatibilidade são pequenas, uma para cada 100 mil.

Vitalzinho e Benício e sua família são naturais de Nova Cruz, mas a campanha de ajuda as crianças já se espalhou pelo estado e o trabalho que a família tem feito se tornou referência na busca de encontrar algum doador compatível para doação de medula óssea.