Encontro na Assembleia discute abastecimento de água em Santa Cruz e SAAE e CAERN buscarão solução conjunta para problema

A Frente Parlamentar das Águas da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte realizou um encontro na tarde dessa segunda-feira (04) para discutir a situação do abastecimento de água em Santa Cruz.

A reunião serviu para que CAERN, SAAE, Ministério Público e autoridades do município pudessem discutir como buscar alternativas de melhorias no abastecimento da cidade que, assim como em anos anteriores, chegado o período mais quente do ano, entra em colapso o sistema adutor.

SAAE e CAERN divergiram sobre a necessidade de mais água para reforçar o abastecimento da cidade.

A CAERN informou no encontro que a quantidade de água destinada a Santa Cruz é suficiente para abastecer a cidade e mais que a média dos municípios vizinhos.

Já o SAAE explicou que Santa Cruz é a maior cidade do sistema adutor e recebe população flutuante dos municípios vizinhos todos os dias, o que faz com que a quantidade de água enviada seja bem abaixo que a necessidade do município.

Com o impasse, o principal encaminhamento do encontro foi, em curto prazo, é de reuniões técnicas periódicas nos próximos dias entre os setores técnicos de CAERN e SAAE para tentar encontrar uma saída emergencial para diminuição do problema de água do município.

Uma das saídas para minimizar o efeito do problema seria a hidrometração de toda a cidade de Santa Cruz, já que é um problema enfrentado pelo município, que tenta viabilizar recursos para a obra, que gira em torno de R$ 2 milhões.

Mas, as autoridades foram unânimes quando falaram em ter a necessidade de uma nova adutora própria para Santa Cruz, que atualmente é inviável, com investimento de mais de R$ 150 milhões para sua construção. Ela não tem previsão de ser realizada.

De acordo com o SAAE, Santa Cruz recebe atualmente 235 metros cúbicos de água por hora, o que é insuficiente para abastecer toda a cidade, por isso há um rodízio no abastecimento, situação que fica agravada com o período de altas temperaturas, em que o consumo aumenta e o abastecimento fica mais difícil.

A discussão deve ser ampliada na Assembleia Legislativa, pois já há requerimento do deputado Tomba Farias para a realização de uma audiência pública que se discutam o abastecimento de água no sistema adutor Monsenhor Expedito, que vive dias difíceis de abastecimento, com reclamações de vários Municípios da região, quanto ao abastecimento de água.

Os setores técnicos de SAAE e CAERN devem se reunir em breve para tentar encontram uma solução para essa temática tão importante para a população santacruzense.