Casos da dengue neste ano já são superiores a todo o ano de 2010 em Santa Cruz


A Vigilância em Saúde de Santa Cruz divulgou na última terça-feira (29) o resultado do primeiro ciclo de visitas dos agentes de endemias às residências da cidade. Os dados mostram a porcentagem de residências com focos da dengue.

Os resultados aumentam a preocupação das autoridades de saúde com relação a situação da doença. A cada dia que passa o número de casos aumenta e a dengue vem se espalhando pela cidade.

Os resultados do ciclo são os seguintes: o índice de infestação está em 8%, sendo que a situação mais preocupante é no DNER onde em quase 11% das residências foram encontrados focos do mosquito. O ministério da saúde preconiza índice de até 1%. Além disso, o mais grave é o número de casos notificados e confirmados da doença.

Nos três primeiros meses deste ano já foram notificados 222 casos de dengue em Santa Cruz, número 20% maior que os casos em todo o ano de 2010, quando ocorreram 178.  Além dos casos notificados, a Vigilância em Saúde de Santa Cruz encaminhou ao laboratório central 60 sorologias para confirmar a circulação do vírus e destas 16 foram confirmadas para casos de dengue.

De acordo com o subcoordenador de Endemias, Zoonose e Ambiente, Pedro Florênço a situação da dengue é mais que preocupante no município. “Vivemos uma pré-epidemia e todos devem ficar atentos para que os efeitos da doença seja minimizados em Santa Cruz”, explicou.

A maior preocupação deste ano é com a circulação do sorotipo 4 ao qual a população do estado não está imune e caso ele comece a circular, qualquer pessoa poderá ser infectada pela doença.

As autoridades convocam a população para atuar junto com o poder público, não deixando água parada para procriação do mosquito da dengue. A cada dois meses a Vigilância em Saúde fará o levantamento do índice de infestação para saber como está a real situação da dengue em Santa Cruz e buscar soluções para o enfrentamento a doença.