Senadores querem que Anvisa e Butantan expliquem em comissão suspensão de testes de vacina

Senadores pediram nesta terça-feira (10) a uma comissão do Congresso Nacional que os diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, e do Instituto Butantan, Dimas Covas, expliquem a suspensão dos testes da vacina Coronavac.

Os pedidos foram feitos por Rogério Carvalho (PT-SE), Confúcio Moura (MDB-RO) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP). A comissão mista que acompanha as ações contra o coronavírus analisará o caso. A sessão está marcada para esta quarta (11). Por se tratarem de convites, os pedidos, se aprovados, não obrigam os diretores a comparecer à comissão.

A Coronavac é desenvolvida pelo Instituto Butantan e pela farmacêutica chinesa Sinovac. Nesta segunda (9), a Anvisa suspendeu os testes da vacina em razão de um "evento adverso grave", não informado pela agência. A Anvisa alega que a decisão foi "técnica" e motivada por falta de informações.

Segundo o Butantan, no entanto, a suspensão é desnecessária e é "impossível" a vacina ter relação com o "evento adverso" em um dos voluntários.

De acordo com o boletim de ocorrência da polícia, um voluntário morreu e a causa da morte foi suicídio. A informação foi divulgada pelo site UOL e pelo jornal "O Estado de S. Paulo" e confirmada pela TV Globo nesta terça.

A suspensão dos testes da Coronavac foi comemorada pelo presidente Jair Bolsonaro. Em uma rede social, Bolsonaro postou: "Mais uma que Jair Bolsonaro ganha". Em outro trecho, escreveu: "Esta é a vacina que o Doria queria obrigar a todos os paulistanos tomá-la."

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), defende a vacina e, desde o início da pandemia, diverge de Bolsonaro sobre as medidas a serem adotadas.

'Disputa política'

O senador Rogério Carvalho, autor de um dos requerimentos, disse que é necessário esclarecer se houve interferência na atuação da Anvisa.

Para o parlamentar do PT, Bolsonaro acredita que “atrasar o desenvolvimento da vacina pode ajudá-lo politicamente em sua disputa com governador de São Paulo, pouco importando a saúde de todos os brasileiros e brasileiras”.

Já Randolfe Rodrigues classificou como "repugnante" a postagem em que Bolsonaro comemorou a suspensão dos estudos.

O senador também disse que não se pode descartar a possibilidade de "instrumentalização" da Anvisa com o objetivo de cumprir o que chama de “caprichos” do presidente.

“Não podemos descartar que a Anvisa tenha sido instrumentalizada para cumprir os caprichos do Presidente e lhe garantir 'mais uma vitória' às custas da saúde, e das vidas, de todos os brasileiros”, disse Randolfe.

Por Gustavo Garcia, G1