Deputados recomendam ao governo do RN suspensão de repasses de recursos ao Consórcio Nordeste

A comissão de enfrentamento ao coronavírus da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte aprovou nessa segunda-feira (15) uma recomendação para que o governo do Rio Grande do Norte suspenda qualquer repasse de recursos para o Consórcio Nordeste, inclusive valores destinados à manutenção. A proposta inicial também previa o pedido de exclusão do RN do Consórcio, mas este foi rejeitado.

Para os deputados integrantes da Comissão, é preciso investigar e punir eventuais casos de corrupção, mas é importante o estado continuar no Consórcio. "O governo precisa suspender repasses até esclarecimentos dos fatos. Não tendo envio de repasses, o RN não perderá nada", falou o deputado Dr. Bernardo (Avante).

Formado por todos os estados da região, o Consórcio Nordeste foi criado com o objetivo de facilitar compras e negociações em comum para os nordestinos. Com a pandemia do novo coronavírus, utilizaram este mecanismo para comprar respiradores. Em uma das compras, foram pagos mais de R$ 48 milhões de forma antecipada e os equipamentos não foram entregues. Do total investido, R$ 4,8 milhões são do Rio Grande do Norte.

O caso está sendo investigado pela Polícia e o processo está em andamento no Superior Tribunal de Justiça (STJ). No início deste mês, uma operação da Polícia Civil da Bahia levou para a prisão os empresários responsáveis pelo negócio fraudulento.

"Um crime absurdo em qualquer época, em uma pandemia, de tantas dificuldades para o país, alguém querer roubar dinheiro público, é pior ainda. Defendo punição exemplar para quem tem se comportado de forma reprovável durante esse período", declarou o deputado Hermano Morais (PSB).

Tomba Farias (PSDB) defendeu a saída do RN do Consórcio Nordeste e elencou suspeitas em torno das empresas envolvidas na compra de respiradores. "Criado para facilitar e economizar recurso público, fazer economia. Nas duas primeiras compras, prejuízo total. Perdeu o recurso".

Por G1 RN — Natal