Sesap alerta sobre risco de proliferação do mosquito da dengue durante período de chuva no RN

 

Foto: Raul Santana/Fiocruz/Divulgação

Fatores como clima quente e incidência de chuvas, comuns nesse período do ano, são ideias para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão de arboviroses urbanas.

A Secretaria de Estado e Saúde Pública (Sesap) do Rio Grande do Norte, através do Programa Estadual da Arboviroses, fez um alerta a população para ajudar a evitar a incidência de Dengue, Zika e Chikungunya.

De acordo com a Sesap, as arboviroses são consideradas um dos principais problemas de saúde pública no mundo. Não há vacina para a prevenção dessas doenças e o combate é feito por meio de ações educativas para evitar o acúmulo de água, que propicia a reprodução do mosquito.

“Essas arboviroses acontecem o ano todo. Mas tem o momento de incidência maior, como nesse período que tem calor e chuva. Então em qualquer lugar que tiver água a fêmea vai colocar seus ovos que duram mais de um ano. Bateu uma água ali, aquele ovo já vai se desenvolver. Então é um momento de realmente estarmos atentos”, alertou Dinara Alves, coordenadora do Programa Estadual da Arboviroses.

De acordo com a coordenadora, os dados relativos ao número de casos de arboviroses no RN nas primeiras semanas de 2022 devem ser divulgados nos próximos dias.

O último boletim epidemiológico divulgado pela Sesap no mês de dezembro, mostra uma redução nos casos de dengue, chikungunya e zika no Rio Grande do Norte em 2021 na comparação com 2020.

“Embora tenha um número de notificações menor em relação a 2020, alguns municípios viveram epidemias. Por isso é importante a gente frisar que não existe vacina e é preciso combater o vetor. Fiscalizar os imóveis pelo menos uma vez por semana, se tem algum lugar com lixo, informar ao gestor para que sejam adotadas medidas para eliminar os focos do mosquito. Principalmente nesse período em que as pessoas deixam suas casas e vão para casas de praia. É bom tentar deixar tudo muito correto para que não acumule água em nenhum local”, reforça Dinara.

De acordo com ela, os agentes municipais de endemias estão realizando a aplicação do larvicida nos imóveis. E o Ministério da Saúde autorizou o início da coleta do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) nessa terça-feira (11). Os dados coletados indicam possíveis focos de infestação do mosquito.

Sintomas

De acordo com Dinara Alves, os sintomas mais comuns das arboviroses são febre, dores no corpo, nas articulações e dor de cabeça. A orientação após o aparecimento de um desses sintomas, é procurar uma unidade de saúde e evitar a automedicação, principalmente porque alguns deles podem ser confundidos com os sintomas da Covid-19 e de síndromes gripais, cujo surto foi confirmado pela Sesap ainda em dezembro de 2021.

“A gente está dentro de um contexto que tem essas doenças, mas que tem também as arboviroses. Então vai muito do olhar clínico do médico. Por isso é preciso procurar o serviço de saúde para realizar o teste de Covid, se for necessário”, reforça Dinara.

Por g1 RN