Mulheres de presos protestam por melhoria nas condições do sistema penitenciário do RN

Foto: Cedida
 
Dezenas de mulheres se concentraram, a partir das 10h desta quarta-feira, 21, nas imediações do Centro Administrativo do Estado, em Lagoa Nova, zona sul de Natal. São esposas, mães e demais parentes de presidiários as quais protestam contra as condições do sistema penitenciário do Rio Grande do Norte.
 
De acordo com Adriane Nunes, presidente da Unidade Popular (UP), a manifestação é motivada pela indignação de familiares de pessoas encarceradas que se organizaram para exigir condições "mais humanas". As manifestantes vêm, sobretudo, do bairro Guarapes, na zona norte da capital.
 
"Elas se organizaram de maneira independente e vieram pedir mudanças nas visitas de apenas 1h, alimentação mais digna, além de fim das torturas. Diante disso, articuladores de movimentos sociais somaram-se a essas mulheres para dar apoio", explicou a estudante de 19 anos.
 
Já Eleide Cristina, de 34 anos, é mãe de um presidiário e está insatisfeita com as condições às quais seu filho está submetido. "Estamos reivindicando os direitos, pois eles [detentos] não podem estar aqui. Os presos estão sofrendo muito pois tiraram roupas e lençóis deles e jogaram fora. Eles estão só de cueca. Até os itens de higiene pessoal foram tirados deles", conta a auxiliar de cozinha.
 
O movimento é acompanhado por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Até a publicação desta matéria, o protesto ocorreu pacificamente, sem, portanto, registro de vandalismo nem violência.
 
Por Tribuna do Norte