Irmãos morrem de Covid com duas horas de diferença em Cerro Corá

Foto: Cedidas

Por Igor Jácome, G1 RN

Dois irmãos morreram com diferença de menos de duas horas, na noite dessa terça-feira (1º), vítimas da Covid-19, no Rio Grande do Norte.

Os comerciantes Ivones Silva, de 46 anos, e Manoel Neto da Silva, de 50 anos, eram cunhados do prefeito de Cerro Corá, Raimundo Marcelino Borges, conhecido como Novinho.

Segundo o prefeito, Ivones adoeceu há algumas semanas e deu entrada em uma unidade de saúde no dia 24 de maio. Ele estava no Hospital Giselda Trigueiro, na capital.

Já Neto foi internado no dia 27 de maio e passava por tratamento em Caicó, também no Seridó.

“A gente soube do falecimento de Ivones perto das 18h e depois, entre 19h e 20h, foi Neto”, disse o prefeito.

Segundo o último boletim divulgado pelo município, na noite dessa terça (1º), Cerro Corá tinha 11 óbitos confirmados para a Covid-19, quatro pacientes internados e 94 em tratamento domiciliar.

O prefeito afirma que, desde o início da pandemia, a cidade tinha uma situação relativamente tranquila, mas que acabou com a flexibilização das medidas restritivas no estado.

“Na cidade, nessa questão do Covid, vinha tudo tranquilo, eram uma média de 10 casos, três casos em março. Eu sempre vinha acompanhando os decretos do estado. Depois desse decreto que flexibilizou, o povo relaxou, e aí foi um problema, uma elevação de contaminação que está em 94 casos”, disse.

Ao todo, desde o início da pandemia, o município teve 464 casos confirmados da doença. Atualmente, ainda há 50 casos suspeitos. O boletim ainda considera o risco de contágio “muito alto”.

Segundo Novinho, a prefeitura decretou um "lockdown" de 10 dias para tentar conter o avanço da doença.