Governo do RN suspende 2ª fração de retomada das atividades econômicas no RN

Foto: Demis Roussus/Governo do RN

A governadora Fátima Bezerra anunciou, durante coletiva de imprensa da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) nesta terça-feira (7), que o processo de retomada das atividades econômicas do Rio Grande do Norte está suspenso, já que o estado não conseguiu atingir os índices de ocupação dos leitos estabelecidos em decreto. As atividades que já estão em funcionamento, permanecem.

De acordo com o decreto, que prevê a reabertura gradual da economia no RN, a retomada estaria associada aos indicadores sanitários que medem a taxa de transmissibilidade da doença e a ocupação de leitos destinados a tratar a Covid-19, que não pode ser superior a 80%. Atualmente, este índice está em 92%.

Com isso, a segunda fração da primeira fase de reabertura do comércio, que inclui, dentre outros estabelecimentos, lojas de até 600 m² e restaurantes de até 300 m², está suspensa. A reabertura desses estabelecimentos em todo o estado estava prevista para esta quarta-feira (8).

"Esperamos que os municípios sigam as determinações sobre a suspensão, porque não conseguimos trazer a taxa de ocupação de leitos para um patamar aceitável, que seria de 80%", afirmou a governadora.

Dados

O Rio Grande do Norte contabiliza nesta terça-feira, de acordo com os dados epidemiológicos da Sesap, 1.289 óbitos por Covid-19, 35.809 casos confirmados da doença, além de 48.921 casos suspeitos e 56.301 descartados. Há 171 mortes em investigação.

O número de pessoas internadas está em 702. Deste total, 360 pacientes estão em leitos críticos. A fila de regulação contabiliza 12 pacientes à espera de leitos. Há 17 vagas disponíveis.

A taxa de ocupação de leitos no estado está distribuída da seguinte maneira:

Oeste: 100%

Mato Grande: 100%

Grande Natal: 96%

Seridó: 69%

Pau dos Ferros: 66,7%

Para esta quarta (8), era prevista a retomada dos seguintes estabelecimentos, que seguem sem novo prazo para reabertura:

  • serviços de alimentação de até 300m² (restaurantes e food trucks);
  • estabelecimentos com até 600 m² e com "porta para a rua", dos seguintes ramos:
  • a) comércio de móveis, eletrodomésticos e colchões;
  • b) lojas de departamento e magazines não localizados dentro de shopping centers ou centros comerciais;
  • c) agências de turismo;
  • d) comércio de calçados;
  • e) comércio de brinquedos, artigos esportivos e de caça e pesca;
  • f) comércio de instrumentos musicais e acessórios; de equipamentos de áudio e vídeo; de eletrônicos/informática; de equipamentos de telefonia e comunicação;
  • g) joalherias, relojoarias, bijuterias e artesanatos;
  • h) comércio de cosméticos e perfumaria.

Continuam autorizadas a funcionar as atividades de informação, comunicação, agências de publicidade, design e afins; salões de beleza, barbearias e afins; e estabelecimentos com até 300m² e com "porta para a rua" de alguns ramos (papelarias, bancas de revistas; comércio de produtos de climatização; comércio de bicicletas e acessórios; comércio de vestuário; e armarinho) - que tiveram a reabertura autorizada no dia 1º de julho.

Porém, os estabelecimentos precisam seguir uma série de normas, como uso obrigatório de máscaras, limitação do acesso de pessoas e distanciamento.

Com informações do Agora RN/G1