Urna quebrada em Santa Catarina pode mudar resultado das eleições

As eleições ainda não acabaram em um município do Brasil. Uma seção eleitoral de Içara, no sul de Santa Catarina, teve uma urna quebrada no primeiro turno e 287 votos foram perdidos.

O caso veio à tona porque o deputado estadual Dóia Guglielmi (PSDB), que é natural do município e não conseguiu a reeleição, entrou com processo na Justiça pedindo para que a eleição seja refeita no local onde aconteceu o problema.

O parlamentar não se reelegeu por 38 votos e nas outras três seções da mesma escola ele recebeu exatamente a média que precisava para se manter no cargo - foram 32 em uma seção, 40 em outra e 42 na terceira.

A defesa do parlamentar solicitou à Justiça uma perícia na urna quebrada. Se ainda assim não for possível contabilizar os votos perdidos, ele pede uma nova eleição.

No dia do pleito, em 5 de outubro, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SC) tentou transferir a memória da urna para outros quatro equipamentos reservas e não conseguiu. Também houve tentativa de troca da memória da urna quebrada. O problema atrasou o fechamento da seção e cerca de 60 eleitores desistiram de votar.

Na seção, foram computados os votos de 43 eleitores que aguardaram no local e votaram de forma manual. Os 287 votos eletrônicos foram anulados.

A Justiça Eleitoral aceitou o pedido do parlamentar e determinou que uma perícia seja feita na urna. O TRE-SC ratificou a decisão e aprovou uma audiência pública, com a participação de técnicos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para a realização da perícia. A última tentativa para recuperar os votos será a decriptografia da urna. A data da audiência ainda não está definida - e enquanto isso, a urna permanece lacrada.

Portal da Band


Imprimir