Banco tem que trocar cédula manchada imediatamente

Depois de receber duras críticas, o Banco Central (BC) voltou atrás e anunciou nesta quinta-feira que caso uma pessoa saque uma nota em caixas eletrônicos notas suspeitas de terem sido manchadas por dispositivos antifurto, o banco será obrigado a trocá-la por uma válida.

Segundo o BC, "na hipótese de saque, inclusive em caixas eletrônicos, de cédula suspeita de ter sido danificada por tais dispositivos, a instituição financeira deverá proceder a sua troca. Esse procedimento deverá ocorrer imediatamente após a apresentação da cédula à instituição financeira".

No início de junho, o BC divulgou várias regras sobre as notas manchadas pela tinta rosa, mecanismo antifurto usado no país. Naquela ocasião, o BC recomendou que a pessoa que tivesse sacado uma nota nestas condições fora do expediente bancário, ela teria também de fazer um Boletim de Ocorrência e, depois, entregar a nota na agência bancária.

Na época, segundo o BC, a pessoa que recebesse uma nota com essas manchas poderia até mesmo ser investigada pelas autoridades policiais, além de não ser ressarcida pelo valor perdido.

Nos últimos meses, cresceram de forma intensa os assaltos a terminais eletrônicos de bancos com o uso de explosivos, usados para destruir esses caixas. Os alvos têm sido sobretudo os terminais 24 horas. Com isso, os bancos criaram um mecanismo de defesa, que libera uma tinta rosa assim que o caixa é atingido, manchando as notas.