FGV garante continuidade de concurso da Polícia Civil do RN

24722_11543_75514
Foto: Divulgação
 
A Fundação Getúlio Vargas, que é a empresa contratada para realizar o concurso da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, emitiu nota comentando a prisão de um candidato que tentou fraudar o certame, realizado no domingo (11). Segundo a empresa, a falha não foi consumada, a lisura do concurso está mantida e também está garantida a realização das próximas fases, inclusive da prova objetiva para o concurso de delegado.
 
O candidato que foi preso no domingo e ainda não teve a identidade revelada teria tentado fraudar o concurso através do uso de um ponto eletrônico. A FGV disse que corpo profissional que faz a aplicação das provas "é treinado e capacitado para evitar tais iniciativas criminosas". Segundo eles, o sistema de prevenção é reforçado por "rígidos procedimentos de segurança, que incluem o uso de detectores de metais e detectores de ponto eletrônico, para evitar que os inscritos portem equipamentos eletrônicos suspeitos".
 
Além do uso de equipamentos para evitar as fraudes através de pontos eletrônicos, a FGV disse que disse que conta com "avançado sistema de inteligência artificial", que, segundo a instituição, realiza cruzamentos de dados, identificando coincidências de acertos e erros das respostas dos candidatos, tanto nas questões objetivas quanto discursivas, além da análise grafotécnica.
 
Apesar da prisão em flagrante de candidato que tentou fraudar o concurso, a FGV disse que, em conjunto com a Polícia Civil, assegura a continuidade das demais etapas do concurso, inclusive a prova objetiva e discursiva para o cargo de Delegado Substituto no próximo domingo (18).
 
Prisão
Um homem de 41 anos, natural de Alagoas, foi preso ao tentar usar um ponto eletrônico para responder a questões de concurso para o cargo de agente da Polícia Civil. O candidato foi preso em flagrante, mas a Polícia ainda não deu detalhes sobre como teria ocorrido a ação e quem mais estaria envolvido na tentativa de fraudar o certame.
 
De acordo com o edital, o concurso prevê 230 vagas para agente de polícia e 24 para escrivão, com salários de R$ 4.731,91, além de 47 vagas para delegado, com salário inicial previsto de R$ 16.670,59.
 
Por Tribuna do Norte